Flávio Dino pede viabilização de mais doses de vacinas e Simplício Araújo alerta para dependência de insumos da China


O secretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo, peça fundamental no combate a pandemia no estado em 2020, ajudando o Maranhão na famosa operação de guerra para adquirir de respiradores, e também em abertura de hospitais de campanhas em parceria com iniciativa privada no interior do estado, usou suas redes sociais para alertar sobre a “viabilização urgente de mais vacinas”.

“O País neste momento está inteiramente dependente da China para garantir mais vacinas à nossa população. Achincalhada por @jairbolsonaro, o governo federal espera que a China envie mais insumos ao @butantanoficial para a coronavac, a vacina do Brasil. Enquanto os cães ladram…”, disse.


Já o governador Flávio Dino se mostrou preocupado com relação a quantidade de doses da vacina.

Atualmente, o País dispõe de 6 milhões de doses da Coronavac, que tiveram a distribuição iniciada aos Estados nesta manhã. Todo esse quantitativo foi importado da China. O Maranhão recebeu do Ministério da Saúde, nesta segunda-feira (18), 123.040 doses da vacina chinesa CoronaVac, distribuída no Brasil pelo instituto Butantan.

“O início da vacinação é uma grande conquista. Mas é fundamental a viabilização urgente de mais vacinas, pois o número inicial é muito pequeno. Alternativa mais viável é a fabricação no Brasil, pelo Butantan e pela Fiocruz. Foco deve ser esse agora”, escreveu Dino no Twitter.


Publicidade



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.