Na Venezuela, chavismo gasta US$ 5 mil com cada convidado do Foro de São Paulo




A realização da 25ª edição do Foro de São Paulo na Venezuela divide opiniões no país. Alguns grupos criticam a organização do encontro em um momento em que a Venezuela passa por uma grave crise econômica e social.




O governo do ditador Nicolás Maduro custeará hospedagem, alimentação e transporte interno para dois representantes de cada delegação. O custo pago pelo chavismo será de US$ 5 mil por convidado.
Com o gasto de uma única pessoa, o governo poderia bancar os ganhos mensais de 1250 venezuelanos, já que o salário médio no país é de US$ 4.
O encontro recebe partidos e organizações de esquerda da América Latina desde 1990.
Em Caracas, um grupo de jovens questionava os gastos com o evento. O estudante Jesus Mendoza, classificou as despesas como desnecessárias. Já a assistente administrativa Eylin Escalante defende a realização do Foro de São Paulo na Venezuela.

Rogério do PT será o nosso entrevistado do programa Estúdio S Pedreiras!

Brasil
Partidos e movimentos de esquerda do Brasil participam do encontro que começou na quinta-feira (25) e termina no domingo (28).
PT mandou duas representantes. Uma delas é Mônica Valente, mulher do ex-tesoureiro da legenda Delúbio Soares.
Segundo o governo venezuelano, entre outros temas, o Foro de São Paulo vai discutir “a luta pela paz na Venezuela, o bloqueio econômico contra Cuba e a Campanha Lula Livre.”
*Com informações do repórter Afonso Marangoni
Fonte: Jovem Pan.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.