Glenn Greenwald afirma que não deixará o Brasil

“Ao contrário dos desejos de Bolsonaro, ele não é (ainda) um ditador. Ele não tem o poder de ordenar pessoas presas”, disse Greenwald.



O militante norte-americano Glenn Greenwald, editor e cofundador do site panfletário Intercept, rebateu as declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre sua possível prisão.

Em mensagem publicada no Twitter, neste sábado (27), Glenn afirmou que não há nenhuma evidência para levá-lo à cadeia:
“Ao contrário dos desejos de Bolsonaro, ele não é (ainda) um ditador. Ele não tem o poder de ordenar pessoas presas. Ainda existem tribunais em funcionamento. Para prender alguém, tem que apresentar provas para um tribunal que eles cometeram um crime. Essa evidência não existe.”
Pela manhã, como você viu na Renova, Bolsonaro disse que o norte-americano “talvez pegue uma cana aqui no Brasil”:
“Malandro para evitar um problema desse, casa com outro malandro ou adota criança no Brasil. O Glenn não vai embora, pode ficar tranquilo. Talvez pegue uma cana aqui no Brasil, não vai pegar lá fora não.”
Ainda no Twitter, Greenwald disse “tem o poder de sair o Brasil voluntariamente”, mas que não o fará para “defender a democracia do país dos meus filhos”:
“É verdade que o governo não tem o poder de me deportar. Mas eu tenho o poder de sair o Brasil voluntariamente- e tinha esse poder o tempo todo. Mas não fiz e não vou, apesar dessas ameaças. Pq? Pq sei que não têm nada contra mim. Vou defender a democracia do país dos meus filhos.”




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.